Morando em Nova York

Love is the answer, The High Line, New York City
A ideia de morar em uma nova cidade pode parecer muito remota na correria do dia a dia. Mais remota ainda quando esta cidade fica em outro país, onde a língua de origem não é a mesma que a sua e você nunca esteve lá antes. Parece loucura?! Mas não é.

Em abril desse ano, eu finalizava um projeto profissional e decidi gastar meu tempo livre descobrindo um lugar novo. New York City foi o destino. Já havia visitado outras cidades americanas, mas a Big Apple ainda era uma surpresa. Por sorte do destino, uma grata surpresa.

Imagine um lugar onde a cada esquina há uma língua diferente sendo apresentada. Todas as etnias misturadas. Noites claras, com céu desenhado por luzes. Luzes que não são estrelas, mas prendem sua atenção e fascinam tão quanto. Prédios que tocam o céu. Muros que gritam poesias. Artistas expressando sua arte de parques às estações de metrô. Nova Iorque foi o caos e a calma, a arte e o grito.

Ahh e quando chega a primavera? Flores por todos os lados, cherrys, tulipas, bromélias, cada espécie no seu tempo. Tudo muito bem marcado.

Vi pequenos templos do jazz em Downtown, a resistência do soul e do hip hop explodindo no Harlem, centenas de celebrações ao verão nas ruas do Brooklyn, a Orquestra Sinfônica no Central Park. Tudo isso ao mesmo tempo.

A cidade transborda cultura o ano inteiro, e é puramente verdade que ela nunca dorme. Com transporte público inclusivo que conecta toda a ilha de norte a sul, 24 horas por dia. Isso é luxo? Não. É estrutura básica para uma metrópole. Feito para funcionar, sem estações extravagantes ou exemplo de tecnologia avançada, mas atendendo as pessoas. Oito milhões de pessoas que preenchem aquela maçã.

A vivência de pouco mais de dois meses já deixa saudades. Fui a princípio para melhorar o idioma, voltei querendo muito mais da vida. Todo motivo é um motivo para abandonar o ninho vez ou outra. Um curso de arte, fotografia, um projeto profissional. Por que não? Pode ser mais simples do que parece. E acredite, você não precisa de rios de dinheiro para isso.

Agora é hora de voar de volta para casa.

Nos vemos em breve New York,
me espere,
pois ainda tenho um mundo inteiro para conhecer 🙂

4 Comment

  1. Deixamos um pedacinho do coração em cada cantinho que passamos 🙂

  2. Muito isso Mazzinha. Bom que a gente têm o coração grande, qual o próximo destino? =)

Deixe uma resposta