Washington D.C. de bicicleta

Vista do National World War II Memorial para o Washington Monument , Washington DC

Durante a estadia em Nova Iorque, procurei algumas cidades próximas que pudesse conhecer em poucos dias. Washington sempre foi a primeira opção por todo clima que a capital dos Estados Unidos oferece e para ser bem sincera, porque depois de assistir três temporadas de House of cards, a cidade despertou minha curiosidade.

Mas quanto tempo ficar? Uma vez que um bate-volta seria completamente inviável. São cerca de quatro horas de viagem na estrada ou por trilhos. Bati o martelo então por três dias e ao chegar fui montando os passeios. No final, o tempo foi até pouco.

Vista do National World War II Memorial para o Washington Monument , Washington DC

Era um final de semana especial para os americanos, que marcava a chegada do “verão” e o Memorial Day (25-05), feriado nacional em homenagem aos soldados que lutaram no Vietnam. Todo ano, veteranos montados em suas Harley Davidsons percorrem a capital em carreata. Segundo alguns participantes, em 2015 compareceram cerca de nove mil motociclistas de todo país e até de fora para o Rolling Thunder Run, evento que desde 1988 faz parte do calendário de comemorações. Em frente ao Lincoln Memorial um palco foi montado com bandas countries e até a participação da filha de Frank Sinatra, Nancy Sinatra.

Fiquei hospedada no bairro Adams Morgam, em minha primeira experiência usando Couchsurfing (se você não sabe o que é isso, corre no site para descobrir. Em poucas palavras: hospedagem gratuita com locais). O bairro tem um milhão de opções entre restaurantes, casas noturnas e cafés. Fica a poucos minutos do Downtown e do Zoológico da cidade.

Sem perder tempo

Para facilitar a sua vida assim que chegar em D.C. faça um Smart Card em uma das estações de metrô e cadastre-se no serviço de aluguel de bicicletas da cidade, o Capital BikeShare. O Smart Card permite que você reutilize o cartão tanto no metrô, quanto em ônibus, te poupando tempo e dinheiro. Mas se você está disposto a realmente conhecer a cidade a melhor maneira é pedalando. A capital americana não é tão extensa e há 350 bicicletários, com mais de 3000 bikes, espalhados do por toda parte.

Se perder é praticamente impossível. As ruas paralelas, em sua grande parte, seguem o esquema de letras e números. Nem tão criativo, mas muitíssimo prático para novatos como eu. No primeiro dia me cadastrei no BikeShare, que te oferece duas opções: diárias ao custo de $8 e três dias por $17, por sorte exatamente o tempo que tinha na capital.

Você pode utilizar as bikes durante 30 minutos quantas vezes quiser ao dia, só não pode esquecer de devolver, para não ser sobretaxado. Dá para estender o tempo em 15 minutos, se não houver espaço para devolver sua bike nas estações e um aplicativo chamado Spotcycle te ajuda a achar lugares vagos.

Lincoln Memorial, Washington Distric of Columbia, USA

O que achei mais bacana é que os principais pontos turísticos ficam bem próximos. Você consegue em uma manhã ir da White House, ao Capitol e ver o Washington Monument de três lugares diferentes. Além de visitar a maioria dos memoriais. Sim, há milhares deles!

Você consegue ter uma vista bacana do Washington Monument, o Obelisco de D.C., tanto de sua base, quanto do National World War II Memorial e do Lincoln Memorial passando pelo espelho d’água. Um local que vale a visita é o Sculptures Gardens, o jardim resguarda diversas obras excêntricas, incluindo uma versão em português da famosa Love.

No verão crianças e adultos aproveitam para se refrescar na fonte do jardim e este ano até agosto acontecem shows gratuitos de jazz no final da tarde todas às sextas. Basta levar sua toalha de picnic e curtir! Clicando aqui você encontra a programação.

Sculptures Garden, Washington Distric of Columbia, USA

A capital é recheada de boas opções em museus e, ao contrário de Nova Iorque, a entrada é gratuita na maioria deles. Entre os meus favoritos estão o Natural History Museum, National Museum of American History e o National Air & Space Museum. No natural foi gravado o segundo filme da franquia: Uma noite no museu e no Air & Space, na galeria Apollo II, relembre toda a trajetória da ida a Lua (ou da história que nos contaram, até hoje tenho minhas dúvidas sobre a veracidade desse fato). Além, é claro, do Newseum, que mergulha na história do jornalismo de um jeito único.

Georgetown, Washington D.C., USA

 

Vida noturna

Adams Morgam se mostrou bem completo no quesito vida noturna, há uma infinidade de lugares como o mexicano El Centro e o brasileiro Bossa. Mas se você prefere uma balada alternativa a 8th Street é o lugar.

Localizada no lado leste de DC, a rua apresenta lugares interessantes como o Rock N’Roll Hotel, um bar em um antigo hotel de três andares com roof top, decoração grunge e djs tocando clássicos do rock.

Além do Little Miss Whisky Dolar Bar. À primeira vista um bar country, em um espaço que poderia ser uma antiga barbearia pela decoração, mas subindo as escadas djs mostram que você não precisa ir longe para dançar ao som de mixagens nada óbvias e um eletrônico que foge do som tantas vezes repetido nas rádios.

Ethiopian food

Se você nunca comeu em um restaurante de culinária etiópia, D.C. é o lugar para o debut. Há uma infinidade de opções a cada esquina e com cardápio bastante saudável. Prato cheio para vegetarianos ou não. Eu visitei o Axum Restaurant, na 9th street, provei e aprovei a cerveja etiópia e o combo de carne.

Não há talheres, você come a carne em uma espécie de panqueca larga, onde é servido. Exótico, barato e delicioso. Antes de ir vale consultar o Groupon americano, vez ou outra, eles oferecem 50% de desconto nos pratos para dois.

Ethiopian food, Washington D.C.

Ao ar livre

Fora dos roteiros tradicionais dois lugares que valem a visita é o Zoológico de D.C e o Rock Creek Park. No passado tinha criado certas ressalvas, a respeito desse tipo de lugar para a vida dos animais silvestres, depois de conviver com alguns amigos que militam pelos direitos animais.

Mas o que notei de diferente entre este Zoo e o do Rio é a preocupação em conscientizar as crianças sobre o risco de extinção dos animais. Uma série de informações ilustradas sobre seus hábitos complementam a visita. E os Pandas são tãoo lindos, que não dá para não se apaixonar.

O Rock Creek Park também é interessante, porque foge ao estilo Central Park, você se sente em uma verdadeira floresta na cidade. Só cuidado para não se perder, leve sua toalha para piquenique e desfrute da paz do local.

O lugar mais concorrido do zoológico de DC é onde estão os pandas. E o motivo é fácil notar, não tem animal mais foto :)

O calendário cultural de Washington é cheio de atrações durante o ano inteiro e o melhor: quase sempre gratuitas. Uma boa dica é acessar o site Washington.org para saber o que acontece e o que está por vir na capital.

Boa trip e depois me conte como foi!