Aulas de inglês gratuitas em NYC

post-livros

Há inúmeras maneiras de fazer um intercâmbio, seja por meio de estágios, graduação sanduíche, mestrado ou cursos de línguas. O problema é que a maioria dessas opções precisam de um bom investimento financeiro. O que acaba inibindo milhares de estudantes a ingressarem nessa experiência, caso não tenham bolsa de estudos.

No entanto, se o seu objetivo é melhorar o inglês se inserindo em uma cidade americana, Nova York oferece alternativas gratuitas com professores nativos. A cidade é a mais populosa dos Estados Unidos, com população estimada em cerca de oito milhões. Por outro lado, segundo pesquisa do Census Bureau’s American Community Survey, apenas 51% dessa população se comunica em inglês dentro de casa.

Diante desses dados, algumas instituições buscam promover o inglês entre os imigrantes oferecendo aulas gratuitas da língua em bibliotecas e universidades. A New York Public Library (NYPL) a cada três meses abrem turmas que vão de iniciante ao avançado no programa English for Speakers of Other Languages (Esol), nos 30 prédios espalhados entre a Ilha de Manhattan, Bronx e Staten Island.

Essas aulas acontecem regularmente duas vezes por semana, com duração de duas horas e são indicadas para quem dispõe de seis meses ou mais para frequentá-las. Para inscrever-se é necessário apenas acompanhar o calendário no site: http://www.nypl.org/events/classes/english, comparecer a primeira aula de instruções para garantir a vaga e fazer uma prova de nivelamento.

Apesar das aulas serem voltadas para residentes, nenhum tipo de documento é solicitado na inscrição. Então, pessoas que estejam na cidade como turistas também podem frequentar. Após o primeiro ciclo, de cerca de três meses, um novo teste de nivelamento é feito para verificar se você continua na mesma turma ou passa para outra mais avançada.

Caso você não tenha seis meses para ficar por lá, há outros projetos mais rápidos que são oferecidos e incluem aulas e grupos de conversação. O ciclo de aulas tem duração de dois meses e as conversações acontecem o ano todo. Quando acaba um ciclo recomeça outro. Os professores deste módulo são voluntários das bibliotecas, mas tão dedicados quanto os outros.

Não é necessário se registrar e o material didático chamado “We are New York” trata exatamente de assuntos ligados à cidade. Dessa forma, você também pode preencher os outros dias da semana que não tiver aulas regulares com a conversação. Informe-se dos horários na recepção.

 Mais aulas gratuitas

Aulas de inglês gratuitas em Columbia University, New York City

As bibliotecas do Brooklyn não pertencem a mesma gestão de Manhattan, mas também oferecem aulas de inglês gratuitas em diversas unidades. A melhor é a Biblioteca Central, na Praça das Armas, enorme e super moderna. Lá funcionam os grupos de conversação com voluntários. Não é necessário registrar-se e os horários podem ser acessados no site:

http://www.bklynlibrary.org/support/volunteer/english-conversation-grou.

A Columbia University, no Harlem, mantém um programa chamado: English as a Second Language (ESL), também gratuito para não nativos e com novas turmas a cada semestre. Para frequentar você só precisa ser maior de 18 anos, adquirir o material e ter disponibilidade de segunda à quinta-feira de 16h00 às 18h00 ou 18h00 às 20h00. O programa tem duração de 12 semanas e é possível fazer um pré-registro pelo site: http://communityimpact.columbia.edu/our-programs/english-second-language-esl.

Pontos positivos:

  • Com professores americanos é mais fácil entender quando você pronuncia as palavras com sotaque muito forte, é o que eles chamam de accent e faz com que muita gente não te entenda.
  • Eu já disse que é de graça??!
  • Imersão é a chave. Viajar para o país da língua que você está estudando é a melhor maneira de ganhar fluência.

Pontos negativos:

  • São aulas gratuitas, então mesmo as turmas avançadas não são tãão avançadas assim às vezes é preciso ter paciência.

Deixe uma resposta