Vai uma coxinha? Points brasileiros em Nova York

post-coxinha

Viajando sempre há o lado bom e o lado ruim de procurar um restaurante do seu país. O lado bom é a certeza do pedido e por mais diferente que seja a cozinha, a garantia do gostinho de casa. Já a parte ruim é a saudade, que às vezes nem passava pela sua cabeça, mas no primeiro cheiro, ou no primeiro refrão tocando no fundo do salão, o coração já sai pela boca.

No meu caso, foi no primeiro verso de uma roda de choro em um bar, em Williamsburg, no Brooklyn. Fazia apenas duas semanas que eu havia chegado em Nova Iorque e ainda estava sentindo a cidade. É claro que em 15 dias não dá tempo para morrer de saudades, mas quando toca aquele samba que você só ouve no boteco mais escondido da Lapa, na roda do Barão em Vila Isabel ou amontoado na Pedra do Sal, para poder sambar e cantar junto, aí não tem coração que aguente. O choro é livre (literalmente).

Se ainda restava alguma dúvida, a certeza de onde você vem se torna clara. Sim, você pertence a esse lugar e nada pode mudar isso. Nem os maiores encantos, nem as cidades mais lindas do mundo.
Carioca quando me diz que não gosta de samba, eu chego a levantar a sobrancelha. Como seria possível, viver no Rio e não se apaixonar? Eu não confio. E acho mais do que justa a letra de Caymmi: “Samba da Minha Terra”.

“Quem não gosta de samba, bom sujeito não é/ Ou é ruim da cabeça ou doente do pé (…)/
Eu nasci com o samba, no samba me criei/ E do danado do samba eu nunca me separei”.

Mas, vamos falar de comida. Os cardápios vão parecer de outro planeta. As mais diferentes explicações em língua estrangeira para um simples brigadeiro, ou a nossa caipirinha, palmito (heart of palm), moquequa, bife a cavalo e muitos outros. Eu provei de tudo um pouco. Até a coxinha com cream cheese me convenceu. (O que é a saudade, não é mesmo?) E abaixo elegi para vocês um Top 5 dos lugares brasileiros que valeria a pena voltar.

Top 5

Miss Favela, Williamsburg, Brooklyn, New York. Foto: Divulgação

5 – Miss Favela ($$). Um lugar que muita gente me indicava é o Miss Favela, em Williamsburg, por ser bastante animado e viver lotado. Mas, sinceramente, não foi nem de longe o meu favorito. Eu até entendi a proposta de montar um ambiente com clima de laje, telha furada e mesa enferrujada, mas cá entre nós atendimento é primordial, né?! E nesse quesito o Miss Favela deixou a desejar. O garçom demorou bastante e não houve nenhuma preocupação com o cliente, fato que costuma ser raridade em Nova York, onde os garçons só faltam ganhar o título de seu camarada, de tão atenciosos.

Mas nem tudo são trevas, a parte bacana é que o espaço conta com uma banda de forró todos os domingos à tarde, para animar os casais e um cardápio bem completo.

Endereço: 57 South Fifth Street Brooklyn, NY.

4 – Brazil Brazil ($$$). O restaurante na 46th tem um clima beeem mais formal, comparado a nossa quinta posição. Ótimo para ir com a família, ele é bem próximo à Times Square e costuma ficar tranquilo na hora do almoço. Como a maioria do staff é brasileiro, mesmo se seu inglês não estiver na ponta da língua, você não terá problemas para fazer seu pedido. A rua que já foi conhecida como um polo brasileiro, mudou bastante e hoje em dia não faz jus a antiga fama. Mas em uma caminhada ainda é possível encontrar outras fachadas verde e amarelo, na área que um dia foi chamado Little Brazil.

Endereço: 328 West 46th Street New York, NY.

divulgação

3 – Rio Supermarket ($). É um mercado, é uma lanchonete e também é um restaurante. Sabe quando tudo que você precisa na vida é um pão de queijo com requeijão? Então, nesse mercado você vai encontrar. Não só o pão de queijo, mas também leite condensado, para fazer brigadeiro, goma de tapioca, Guaraná Antarctica, coco fresco e tudo que tiver direito. O espaço fica em Astoria, bairro tipicamente brasileiro e bem pertinho da estação de metrô da linha N. Eu fiz um bate volta só para fazer as compras e valeu a pena. Os preços são acessíveis e o atendimento também não deixa a desejar.

Endereço: 32-15, 36 Avenue, Astoria, NY.

bar bossa, restaurante brasileiro

2 – Bar Bossa ($$). Pequenino, discreto e charmoso. O Bossa foi um achado em Nolita, quando estava, por coincidência, com um casal de amigos brasileiros na cidade. Ficamos no bar e provamos uma deliciosa porção de lulas, acompanhada de uma garrafa de vinho. O serviço foi impecável, com staff variado entre americanos e brasileiros. Além de um ambiente muito aconchegante.

Endereço: 232 Elizabeth St, New York, NY.

Beco bar

1 – Beco Bar ($$). Entre Greenpoint e Williamsburg, bem pertinho da feira hipster Smorgasburg, o Beco se mostrou o melhor botequim brasileiro disparado na Big Apple. Os motivos são muitos: caipirinha extremamente bem feita, roda de choro talentosíssima todos os domingos e decoração de muito bom gosto – no banheiro quadros com capas de discos dos Mutantes e Jorge ben compõe o espaço. Na parte de dentro, o bar a meia luz garante que os clientes se animem e levantem para dançar. A comida é deliciosa e o atendimento muito bom. O sentimento ao fim do dia era que eu já estava de volta pela Lapa, que Brooklyn que nada…

O único ponto negativo é que o bar não aceita cartão, o pagamento é só em dinheiro. Mas há uma ATM no interior para os desprevenidos.

Endereço: 45 Richardson St, Brooklyn, NY.

Regional de NY. Foto: localmusicworldwide.wordpress.com

1 Comment

  1. Didn’t know the forum rules allowed such brlaiilnt posts.

Deixe uma resposta